quinta-feira, 14 de junho de 2012


Não chore por ele. No máximo um suspiro. Mas que seja discreto, baixinho, quase inaudível.

— Caio Fernando Abreu

Nenhum comentário:

Postar um comentário